rss search

next page next page close

Lady Grilzz

Acredito que foi em Londres mais de 10 anos atrás que vi grillz pela primeira vez. Acessório para os dentes, como uma jóia. Ano passado encontrei um dentista-artista que faz o tal dente de ouro, tudo dentro dos conformes. Juntei a finaleira do fgts da demissão e me joguei no molde. Peça pronta, níquel cromado- porque o ouro mesmo deixo para a próxima quem sabe, saí toda feliz do studio, embora com um pouco de vergonha de ser só eu usando.

Na primeira balada, depois de umas cervejas e Jagermeister, era começar a conversar para a peça sair voando e as amigas loucas afastando as cadeiras para encontrar: o dente dela caiu! caiu? que dente, que horror! hahahaha. Depois de duas vezes perdida e encontrada a peça me proibiram de usar.

Guardei. Teria que cimentar. Mas estava sem coragem. Semana passada levei o filho no dentista e ela tinha a resina certa para fixar o dentão. E cá estou eu com um sorriso pop. As amigas fizeram tsc,tsc, dois caras elogiaram a beleza, outro a atitude. Como o carnaval já é semana que vem, vou manter, mesmo porque pra tirar agora, só voltando no consultório. Ou se aparecer uma entrevista de emprego em lugar com fachada formal.


next page next page close

I´ll be fine

Please Like Me, a série australiana da Netflix, me pegou. O millenium mais quero-ter-como-amigo do mundo, Josh Thomas é estranhamente tão próximo e querido, que gruda na mente. O sotaque peculiarmente tão  inglês de cada personagem  faz com que se queira reproduzir as falas e uma mudança para Austrália logo já, não cairia mal.

No plot está Josh jovem recentemente gay, ele mesmo roteirista e estrela da série, e sua turma apenas vivendo uma rotina honesta e talvez por isso um tanto dramática e engraçada. Sinceridade, confusão pra entrar na idade adulta e tempo de voltar atrás das decisões em uma classe média de primeiro mundo, norteia todos os curtos episódios das 4 temporadas disponíveis até agora. Assuntos tabus e outros nem tanto para tanta gente, como aborto, racismo, homofobia e um way of life LGBT de livre acesso sem hipocrisia,  deixam um gostinho de sarcasmo fino da vida real em cada capítulo.

Para completar tem essa música que me deixa alegre e alegre de novo, por permear todo o projeto, como um sinal de que se começamos pra cima, não importa como se está na altura da jornada, no final ficaremos bem.

Please Like Me é pura reflexão e diversão!


Lady Grilzz

Acredito que foi em Londres mais de 10 anos atrás que vi grillz pela primeira vez....
article post

I´ll be fine

Please Like Me, a série australiana da Netflix, me pegou. O millenium mais...
article post